Atitude & Saúde

Afinal, a Hidroginástica é uma atividade apenas para idosos?

A EFICÁCIA DA HIDROGINÁSTICA NO GANHO DE MASSA ÓSSEA E A SUA RELAÇÃO COM OS PROBLEMAS NAS ARTICULAÇÕES

  • por em 10 de julho de 2020
hidroginástica

Há algum tempo acreditávamos que a Hidroginástica seria uma ótima atividade para os “velhinhos” e lesionados devido à falta de impacto nas articulações. Tornando assim, o ambiente aquático propicio para se exercitarem e relaxarem, além de um alívio para as inflamações geradas pela artrite, artroses, complicações do excesso de peso etc.

Embora sendo ideal para esse grupo como forma de reabilitação, não era esperado pelos médicos que a Hidroginástica também pudesse contribuir com a melhora da Densidade Mineral Óssea (DMO)desses indivíduos.

Osteoporose e a Densidade Mineral Óssea

A manutenção da DMO é muito importante para a prevenção da osteoporose.

Quando falamos em melhorar a parte óssea de coluna, joelhos, quadris e, menos incidente, de braços, os pacientes são orientados a procurarem atividades que gerem maior impacto e sobrecarga como: musculação, pilates ou treinamento funcional.

Além do exercício, os médicos também prescrevem suplementação e medicação específica para a recuperação da massa óssea. Geralmente receitam Cálcio, vitamina D, hormônio, entre outros, para estimular a reposição do tecido ósseo.

DMO X Exercícios aquáticos


É importante destacar que poucas pesquisas têm sido desenvolvidas sobre o ganho de DMO através dos exercícios aquáticos.

Pesquisas anteriores a 2005 acreditavam que o ganho de massa óssea estaria ligado à sobrecarga do peso corporal sobre as articulações e por isso, a hidroginástica não seria uma boa opção de atividade física para a recuperação e prevenção da osteopenia e ainda, casos mais graves de osteoporose.

Atualmente, pesquisas demonstram que não só o peso corporal proporciona impacto nas extremidades ósseas e proporciona a recuperação do osso, mas também sugerem, que a contração muscular seja responsável pela deformação óssea e necessita ultrapassar um determinado limiar de esforço durante o exercício para estimular a remodelação tecidual.

Ressalte-se que esse esforço precisa ser localizado para conseguir evoluir a DMO da área afetada. De fato, a DMO parece responder a uma intensidade maior de treinamento, entretanto treinamentos aeróbios longos de baixa intensidade não são capazes de estimular essa alteração.

Sendo assim, para se adequarem a essa nova realidade, muitas mudanças têm sido feitas na prescrição de treinamento nas aulas de hidroginástica para idosos e lesionados, que necessitam melhorar o ganho, reabilitar ou manter a massa óssea.

Treinamentos na água para DMO

Os treinamentos aquáticos tanto na natação quanto na hidroginástica obedecem, hoje, uma periodização onde há mais volume de treino com intensidades maiores, atendendo essa prescrição.

Grande parte das aulas estão voltadas para o treino de força e velocidade, utilizando acessórios de resistência, a fim de obterem, nas avaliações físicas, índices que comprovem a eficácia dos treinamentos na saúde dos indivíduos.

As velhas aulas de hidro onde os alunos ficavam mais desfrutando do convívio social e de exercícios leves a moderados, do que focando no treino em si, já não são mais aceitas pelos professores.

Portanto, hoje, os profissionais de educação física especializados em fitness aquático são mais seguros dos efeitos fisiológicos e mecânicos dos exercícios nas suas aulas.

Estes efeitos permitem aos médicos indicarem, mais firmemente, a hidroginástica ao invés de apenas prescreverem caminhadas para os que buscam melhorar a saúde como um todo.

É muito importante que essa informação seja propagada nas redes sociais, pois alguns idosos preferem não buscar uma academia de ginástica ou a musculação, pelo fato de sentirem muitas dores no pós-exercício e limitações de diversas enfermidades.

Eles não imaginam que o exercício dentro d’água, ministrado por profissional especializado, possam lhes trazer iguais ou melhores resultados das atividades de impacto, em um ambiente prazeroso.

Preferem sabotar sua própria saúde apenas com caminhadas diárias ou atividades domésticas.

Então, engana-se quem pensa que a hidroginástica é uma atividade que não gera sobrecarga e fortalecimento ósseo.

Diana Primo – Profissional de Educação Física pela UFMG, pós graduada em Musculação pela UVA e Especializada em Exercícios Aquáticos

@dphidrotreinamento

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Comentários