Atitude & Saúde

Barriga tanquinho durante a quarentena

Afinal, o exercício abdominal diminui a barriga?

Neste período de distanciamento social muitas pessoas, impossibilitadas de frequentarem academias ou espaços públicos, deixaram as atividades físicas de lado. Outras, em decorrência do “Home Office”, ficaram mais sedentárias do que já eram.

Os deslocamentos casa-trabalho-casa que deixaram de acontecer, as compras de supermercado que passaram a ser mais planejadas e menos frequentes diminuíram de forma considerável o nosso gasto calórico. Nos sentimos como prisioneiros, ou até mesmo confinados como os animais criados para o abate.

As consequências

Daí vem o estresse psicológico, a ansiedade, muitas vezes seguida da vontade de comer.

A geladeira, próxima ao sofá e à televisão, ao computador, ao smartphone, conspiram contra a saúde. Isso sem falar no consumo exagerado de cervejas e refrigerantes, que são muito calóricos. O aumento do peso corporal é inevitável para muitos: comendo mais e gastando menos. Como resultado, temos a gordura que se concentra em diversas parte do corpo, principalmente na barriga.

E agora?

Muitos podem pensar que para reduzir a gordura na barriga, precisamos contrair os músculos do abdome (barriga). Não é assim. Da mesma forma que a gordura foi depositada em diferentes partes do corpo, com o exercício físico, essa mesma gordura, passa para o sangue sendo utilizada como combustível.

Na prática

Exercícios mais leves consomem a gordura corporal como combustível. Exercícios mais pesados consomem carboidrato. Um exercício abdominal é pesado para a grande maioria das pessoas, pois não suportamos fazê-los durante 30 minutos.

Assim, para perder gordura em todo o corpo, incluindo a localizada na barriga, precisamos fazer exercícios de longa duração.

Uma esteira na frente da televisão seria uma boa solução para estes tempos de isolamento.

Para então, definir a barriga, reduzido o percentual de gordura no abdome, chega a hora de investir nos exercícios abdominais.

João Carlos Dias – PhD em Fisiologia do Exercício

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.