Atitude & Saúde

Medidores de temperatura:É seguro colocar um laser infravermelho na testa?

Está circulando na internet um “post” de uma suposta enfermeira australiana que alerta da possibilidade do raio infravermelho do medidor de temperatura afetar a saúde dos “testados”, além de trazer danos a pineal (ou epífise).Mas será que isso é verdade?

  • por em 19 de agosto de 2020

Em primeiro lugar é preciso avaliar e aprender a pesquisar o que recebemos nas redes sociais. Investigar a veracidade do conteúdo e decidir se é prudente ou não repassarmos para outras pessoas.

Levando em conta que a tal postagem não tenha um verdadeiro autor, não tenha divulgado o nome da enfermeira, o hospital em que ela trabalha ou de onde ela tenha baseado esta informação, é preciso ter cautela.

Glândula pineal ou epífise

Gândula Pineal

Sabemos que fisiologicamente a pineal (ou epífise), é uma glândula que contribui para a liberação de hormônios como a Melatonina, responsável pelo sono, e produzida em maior quantidade durante a noite, na ausência da claridade.

A pineal estimula fatores de liberação hormonal no hipotálamo, sistema límbico e glândula da hipófise. Segundo espiritualistas, seria a fonte de conexão com a nossa espiritualidade.

No entanto, se pesquisarmos anatomicamente onde ela realmente se localiza em nossa cabeça, vemos que ela fica no centro do nosso cérebro e na altura entre as duas sobrancelhas e não na nossa testa.

Assim, a aferição da temperatura com um termômetro infravermelho não tem como nos prejudicar. Temos ainda que levar em conta que são apenas segundos, e na maioria dos termômetros são feitos a 5 cm de distância.

Aferição da temperatura

O teste da temperatura nas portas dos estabelecimentos tem por objetivo impedir a entrada de pessoas que apresentem a temperatura acima de 37, 8° C.

Isso representa uma medida orientada para evitar a disseminação do Covid-19, por ser a febre um dos sintomas da doença. Nesse caso, o indivíduo deve estar alerta e procurar um exame mais minucioso.

Mas o que são essas ondas infravermelhas?

O infravermelho é uma radiação eletromagnética com uma frequência menor que a da luz vermelha e assim não pode ser visível.

No entanto, não deve ser confundida com a onda ultravioleta, que pode ser prejudicial a pele. O infravermelho, ao contrário, pode beneficiar o tratamento de dores e doenças. Por não ser uma radiação ionizante ele não oferece riscos à saúde humana.

A luz infravermelha é capaz de captar o calor e perseguir essa onda, por isso é utilizada em termômetros e fotografias térmicas, que são utilizadas na medicina, por exemplo.

O infravermelho pode causar câncer ou cegueira nas pessoas?

Segundo alguns trabalhos científicos, o infravermelho é utilizado em diversos tratamentos, como coadjuvante, para remoção de cânceres e tratamentos de pele. Também é amplamente utilizado no tratamento cardiovascular, doenças autoimunes, inflamações, dores, reabilitações musculares, desintoxicações através de sauna, ferimentos musculares, na odontologia, medicina veterinária etc.

Embora seja provado a sua eficácia e benefício na saúde humana, alguns trabalhos mencionam cautela, pois estudos dos tratamentos com o uso de infravermelhos, ainda não foram conclusivos.

Cuidados necessários

Eles advertem que a luz não deve ser utilizada diretamente nos olhos, e que pode trazer queimaduras de acordo com o comprimento da onda.

Em casos de utilização em tratamentos oncológicos e doenças crônicas, não devem ser retiradas as medicações e tratamentos recomendados.

O que dizem os órgãos que regulam os aparelhos?

Segundo o INMETRO, os termômetros de infravermelho digital medem a energia irradiada pelo individuo, e essa energia é convertida em um valor de temperatura.

Essa energia é dependente do local da medição, por exemplo, na testa temos uma indicação de temperatura um pouco maior comparada à superfície exposta do braço ou da perna, em torno de 0,8 ºC.

Por essa razão, o aferido deve optar pela testa, evitar exposição ao sol ou outra fonte de calor externa além de evitar praticar atividade física antes da medição.

Os termômetros e marcas devem ter o selo do INMETRO e liberados pela ANVISA, pois precisam estar calibrados. Em alguns casos não medem corretamente então, é orientado usar o termômetro de contato para aferição dos aparelhos (o de mercúrio).

Mas se o medo anda rondando você, não se chateie por isso, nada te impede de levar seu próprio termômetro de mercúrio e fazer sua medição debaixo da axila, no local onde vai frequentar, leva só um minutinho.

Saúde e paz a todos!

Diana Primo – Profissional de Educação Física pela UFMG, pós graduada em Musculação pela UVA e Especializada em Exercícios Aquáticos

@dphidrotreinamento

Link para o guia completo de uso correto do infravermelho INMETRO: https://www4.inmetro.gov.br/sites/default/files/media/file/guia-termometro.pdf

Crédito imagem pineal: Instituto Namaskar

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.