Atitude & Saúde

Morrer de coração partido

Crédito: Pixabay

Você possivelmente já ouviu ou viveu a situação de alguém que curte a sofrência de uma música sertaneja ou passou por uma dor de cotovelo pela perda da pessoa amada.

Há quem chegue a pensar que o coração não aguentará tamanho sofrer. Se você não sabe do que estamos nos referindo, nunca ouviu falar da síndrome ou cardiopatia de Takotsubo ou morte pelo coração partido.

Síndrome do coração partido

A palavra é originada do japonês que significa “armadilha de polvo”, um artefato utilizado para capturar e prender o molusco, que é seguro e espremido na sua parte inferior pela armadilha.

Em um ataque cardíaco como conhecemos, um coágulo se forma dentro de uma artéria coronária, restringindo o fluxo sanguíneo que nutre o músculo de oxigênio.

Já no caso da síndrome de Takotsubo, que parece ser um ataque cardíaco maciço, acontece sem que se forme qualquer trombo sangüíneo.

Parece acontecer como efeito de uma descarga hormonal ao estresse extremo, resultando no aperto do coração que igualmente pode parar de bater.

Casos de “coração partido”

Em um caso recente, uma mulher faleceu, de repente, poucos dias depois da morte de sua filha, de um ataque cardíaco. De acordo com o The New England Journal of Medicine (2017/oct/19:372), os pesquisadores também podem ter encontrado outro caso recente no Texas. Esta patologia é um fenômeno ainda não completamente compreendido.

A figura de linguagem – coração partido – é usada para descrever a dor física associada à perda de alguém amado. No entanto, um coração partido pode causar sintomas físicos que também podem ser fatais.

Dr. Paulo Timóteo Fonseca – Médico

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.